/

DEUS AMA VOCÊ 10 (Lorimar Santos)

Paraense é vítima de tráfico humano na Guiana Francesa


Paraense é vítima de tráfico humano na Guiana FrancesaPará - Uma paraense foi vítima do crime de tráfico humano e concedeu entrevista exclusiva à TV Liberal. Ela foi obrigada a se prostituir durante dois anos em um garimpo na Guiana Francesa. O fato aconteceu há 14 anos.
A mulher prefere não indentificar-se por medo de represálias. A proposta inicial era sair da capital paraense para mudar de vida, mas logo descobriu que estava sendo enganada.

"Pensei que ia trabalhar como cozinheira ou no que eu achava que era um supermercado e chegando lá era para me prostituir. A gente era obrigada porque a gente tinha que pagar a comida, os remédios, tudo que a gente consumia lá a gente tinha que pagar, era dessa forma", diz.

Durante toda a entrevista, a mulher se emociona e lembra de detalhes de quem tentava fugir. "Umas morreram queimadas, outras foram degoladas", diz.

A novela das 21h da Rede Globo, Salve Jorge, traz o tema para a discussão. A personagem Morena, vivida pela atriz Nanda Costa, foi vítima de tráfico de mulheres e levada para a Turquia, onde junto com outras mulheres trabalhou em um cabaré.

Por meio da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico Humano vários casos foram desvendados no estado do Pará. 90 pessoas prestaram depoimento. Depois de um ano e três meses de investigações, a CPI foi concluída e o relatório foi entregue ao Ministério Público do Estado (MPE).

Dados do relatório apontam que as principais vítimas são mulheres e crianças de baixo poder aquisitivo, que são recrutadas por falsas promessas. O tráfico de pessoas é favorecido no estado devido sua extensão geográfica, áreas de difícil acesso e falta de fiscalização.

No Brasil, as pessoas são levadas para o estado do Amapá, Pernambuco, Maranhão e Ceará. Fora do país, os principais destinos são Alemanha, Suriname e Guiana Francesa.

"A dificuldade da investigação criminal é esse impacto perverso que existe entre a própria vítima e o aliciador, que se vale da ausência do estado e das condições econômicas da maioria das vítimas e faz o tráfico humano, a exploração sexual e outros tipos de exploração que estão no relatório", diz Odir Viana, promotor de justiça.

Mais de 14 anos depois de fugir do garimpo, a empregada doméstica até hoje ainda não denunciou o caso à polícia. "Eu tenho medo porque eu não sei do que eles são capazes.Eles prometem meio mundo, mas na hora não é nada disso, é só sofrimento, só trauma, é só que eu tenho. Até hoje eu acordo e ainda acho que estou naquele inferno", diz a mulher explorada.

A Polícia Civil informa que investiga todos os casos que chegam até as delegacias do estado. As denúncias de tráfico humano podem ser feitas pelo telefone 3214-8070.

Fonte: G1 PA

0 comentários Em"Paraense é vítima de tráfico humano na Guiana Francesa"

Deixe Seu Comentário

Por Favor Só Comente a Matéria, Não Escreva Palavrões Nem Pornografias.

Postagem mais recente Postagem mais antiga